quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Engolindo Palavras

Tenho aqui dentro de mim, 
restos do que fui
Restos que brigam entre si 
numa eterna guerra perdida
Tenho o escuro e o nada 
que me permitem exagerar 
no aterro das palavras que não digo
Engulo linhas e como versos com vergonha deles
Eles ficam em mim
como uma marca, uma cicatriz...
Sou sensível e burra sim... 
porque eu sempre fui quebrando-me aos poucos 
e já não sei o que ainda é inteiro.

Estou engolindo as palavras, 
alimentando-me de letras engasgadas na alma
Estou por dentro cacos, 
amontoando-se por dentro e por fora de mim
como um choro inconsolável 
ou uma chuva fria que não passa...

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Caos da Solidão



Ando parada no tempo do meu relógio quebrado
Encostada de desejos impossíveis e sentimentos vãos
Em pausa do mundo e de mim por tantos segundos
Perambulo como estranho em terra desconhecida

Estagno aqui,  sem medo, sem pressa, sem compaixão
Não sou guiada, pois estou morta neste corpo-prisão

Que anda em vazios absolutos de um caos infinito
Que não sabe onde apontar o caminho não dito

Se grito, não sou ouvida, se caio, já não sinto...

Sou abismo de um passado incerto que não se viu
Fui abrigo de nada e de tudo que tive e que me fugiu...!



terça-feira, 7 de outubro de 2014

Radiohead - High & Dry



Passeando pela dimensão da bagunça dos meus pensamentos, deparo-me com essa música alucinógena do Radiohead. Para um fim de noite perfeito...!


sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Cicatrizes


Como curar as cicatrizes? Cicatrizes não se curam, moça. Eis o que levamos até a morte, para lembrar o que fomos, o que fizemos e o que aprendemos. Não dói mais, não sinto o peso de ser o que fui e o que sou agora.  A ansiedade estacionou, mas ainda é um cão negro que está sempre prestando atenção em mim. A tristeza deu a volta por cima, pelo menos não ronda mais a minha quadra. Isso é bom sinal. Os pesadelos continuam e me fazem perder quase o dia inteiro com eles se reproduzindo em minha mente, como um disco arranhado, sem ter como parar. O meu rir voltou a fazer parte da minha rotina seca, mas ainda estou estranha e ainda sou eu que sinto o tudo que o caos do nada me trouxe. Ainda sou a mesma, palavra por palavra que escrevo ainda é tudo que faz de mim construção do meu eu de definição não exata, não acabado. Um eterno complexo de mim.  

Tenho um peso na alma e um respirar quase leve e muitas cicatrizes, que levarei comigo até o fim, onde estarei pronta para expor cada uma delas e emoldurá-las como uma obra de arte valiosa que todos admiram.

Escrevo porque mereço, e por não saber o que fazer comigo quando preciso tanto dizer...!


segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Reflexão de um dia qualquer...

Difícil é lembrar do que foi bom e não poder voltar pro que foi. Fomos feitos com ferro e aço para encarar essa vida, talvez seja por isso que chegamos nela chorando. Mais difícil é não saber exatamente o que dizer quando se tem muita coisa na cabeça pra ser dito ou talvez pra não ser...
Existem uns momentos que dão pra esquecer o pior, o amargo, os dias de incertezas, mas a maioria não.  Cada um tem a essência do aço corroendo suas veias, consumindo seu sangue e fazendo secar as suas lágrimas, o que importa é saber lidar com essa intoxicação ininterrompivel que nos diminui cada vez que um dia termina. 


Não sei se foi sonho, mas eu estava vestindo um vestido azul anil e eu tinha um sorriso torto no rosto cheio de cor e nesse dia eu era feliz.

-Por dias leves e sem pressa de acabar...!

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Eu corrompida...




Eu faço o meu mundo
Eu única em universos paralelos
Eu sozinha em caminhos tortos
Eu louca com a loucura de mim
Eu pequena em meio a gigantes

Perdida, partida, enlouquecida...
Corro em direção ao nada
Que sempre encontro
e que sempre me persegue...

Eu livre e prisioneira de mim
Eu saudade, nostalgia em sopros breves
Inconstante, incessante, em desvario
Eu eternizada nas cores que refletem
Meu olhar no espelho do esquecimento.

sábado, 13 de setembro de 2014

Quando me perco em palavras


Solta... 
estou solta.
Estou pior.
Pior de mim, 
pior em mim.

Sou palavra que nada diz,
Sou feita até do que não fiz.
Sou ferida por dentro e por fora
E ninguém viu, ninguém sabe.
Meu corpo zumbi, por aí a fora,
Imprudente...!
Transformado em gritos que não se ouve.

Serei luz que não se enxerga?
Ou treva, que nada também se vê?!

Louca, ingênua e fria,
Meu presente,
O futuro do que fui
De um passado mal vivido...!

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Dúvida de Mim



Em quantas serei só capaz de ser.
Conheço-me tanto à ponto de entender?
Em quantos pedaços terei que ser partida?
Em que mundo andarei sem sequer me saberem
Vivo juntando pedaços do meu próprio eu
Incompreendido, aprisionado e escondido...

De mim mesma e por mim mesma
Não sei quem sou...
Sinto em demasia tudo que me toca
Que me tem, que me apodrece.
E nunca sei onde ir, pra onde olhar
Sem precisar ser vista ou tocada.

Vivo inteira abismo de mim
Sem saber até quando

 ou se pra sempre assim.

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Youth - Daughter


Essa música fala comigo todos os dias. Fica aí, quem não curte, vai curtir!
<3

Eu vejo as luzes que se apagam lentamente e tão pavorosamente
Tenho monstros debaixo da cama 
e luto com meu eu inventado por mim todos os dias.

01:46 am


terça-feira, 19 de agosto de 2014

Terça-feira



Acordou às onze, viu que a vida passa depressa.
Sentiu alívio!
"Assou" pão na frigideira e tomou café com pouco açúcar.
Arrumou o quarto, desempoeirou os móveis.
Espirros...!
Brincou com o gato, aliás, o gato tentou brincar com ela.
Ela fez pouco caso dele. Coitado!

Olhou em volta da cozinha abandonada e sentiu-se vazia.
Já era vazia, agora é mais.

Mas mesmo assim, sente-se vivendo,
à seu modo,
ao seu jeito.

Acordou às onze, mas desejava não ter dormido.

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Agosto



Oh, velho agosto de folhas amarelas pelo chão...
Eu queria poder dar-te além de pensamento torto sem direção...
Alinhar minha vida contigo e juntos sermos a claridade da alma que nos ergue ao céu
Onde ultrapassamos sonhos e respiramos a doce realidade do que eu quis.

terça-feira, 5 de agosto de 2014

Cake Chocolate, morango & Coco



Esses dias a inspiração não está muito boa, mas tentemos não fraquejar. Este foi um bolo que fiz sem pensar, com o que tinha na geladeira. Tem massa de chocolate, que usei essência de baunilha e chocolate em pó 50% Na cobertura,  brigadeiro gourmet (feito com chocolate ao leite e em pó), joguei coco ralado,  chocolate em pedacinhos e esses morangos como decoração. No recheio, leite condensado com coco e o que nunca pode faltar:
Amor na receita, SEMPRE!!
Durante o processo de confecção da receita,  ouvi: Hadiohead; Travis e Strokes. Postarei alguns vídeos das músicas em outro post.
Espero que gostem.
Beijos!
PS: confira a nova fan page no facebook: Oh,sweetKatte
:)

domingo, 3 de agosto de 2014

OK SWEETHEART

Hoje vou falar com o que me deparei: a banda Ok SweetHeart, primeiro, vi um clipe perfeito e muito doce na fan page Projeto Sugar (https://www.facebook.com/projetosugar?fref=ts), após ver o clipe e amar a música, fui em busca de saber mais sobre a banda. A vocalista é Erin Austin e os músicos são Rob Gungor, Sean Barnett, Jeremy Buller, Mckenzie Smith, Patrick Ryan e Clay Welch. Com uma pedida de rock vintage anos 60 romantico, assim para quem é simplesmente apaixonado por esse "pequeno" detalhe, como eu, segue um clipe da música HOME, do primeiro álbum da banda, além de trazer bons sentimentos, nos trás a sensação de Amor pelo simples ato de confeccionar doces emoções na cozinha. Eu amei!

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Infinita


Eu poderia dizer que foi tudo ilusão
Que não aconteceu nada e que nada foi dito.
De que nada adiantou tanta ingratidão
Tanta ironia e desordem pra impressionar
Tantos desaforos e rastejos insanos que usou da minha pouca paz a paz que eu preciso dar.
Estou infinita dentro de um sonho bom
E não desejo acordar tão cedo desse eterno desapego. 

domingo, 27 de julho de 2014

...




Não sou livre de mim... 
Perco- me e muito que demoro a encontrar- me novamente. 
Certamente, vez em quando, ando voando por aí, dentro da minha solidão.








terça-feira, 22 de julho de 2014

Meu eu poesia



Olho pro céu e vejo balões coloridos parecidos com um sonho que tive.
Mesclo aqui meu eu metade doce, meu eu metade amarga...
Tento a união dos dois mundos de acordo com o momento em que escrevo.
Sem rascunho, sou asas...Sem pensar, uma impulsiva qualquer...

Vivo o meu mundo de metades,
metades ilusões,
metades saudades,
metades açúcares,
metades vazios de mim.

Eu,
meu eu meio cheio
meu eu poesia...!

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Desordem pede Ordem...


Reorganização é a palavra do dia!

Depois de tanto passar, tanto esperar... tantos cafés ansiosos e frases mal interpretadas, eis-me aqui, tentando ser só eu de novo,  tentando equilibrar-me. Estou otimista e esperançosa. 
Quero, além da reorganização da cozinha,  arrumar-me por dentro e espiritualmente falando. Um espírito leve, corpo mais leve também.


Então, eu penso,  penso e penso enquanto a xícara de café não acaba.
:|

Deixo uma música pra acompanhar o café...


terça-feira, 15 de julho de 2014

Fase SUGAR CRAVING: o que me faz feliz no momento!



Não quero aqui fazer um post comum de um pensamento que tive e que apenas necessito registrá-lo. Quero sim desabafar,  falar dessa fase que deixa os meus dias pesados (corpo e consciência). Como tenho deixado claro (nem tanto), nas ultimas postagens, é que o meu psicológico encontra-se abalado por uma série de coisas que aconteceram na minha vida de uma só vez no último ano. Pretendo relatar com mais detalhes a experiência mais à frente.

O que pretendo aqui deixar, hoje, são três ponto importantíssimos:

1) Estou deprimida;
2) Estou na fase "sugar craving", termo usado nos Estados Unidos para identificar os compulsivos pelo açúcar (doces em geral);
3) Apesar da fase, e de estar acima do peso, estou animada com os novos projetos que tenho em mente, manter o blog ativo com frequência é um desses projetos.  


Respostas:
1) O fato de estar deprimida se dá pela soma de todas as coisas que me aconteceram nos últimos tempos.
2) O açúcar dá uma sensação de prazer, libera endorfina e nos sentimentos melhor ao ingeri-lo, e sim, isso vicia e é tão prejudicial a saúde quanto qualquer outro vício,  o que nos torna, sem percebermos, escravos deste hábito. 
3) Eu sempre estive acima do peso ideal mesmo quando estava na fase maia magra da minha vida. Não estou lamentando,  estou registrando. Tenho preguiça de me exercitar e o maia curioso, mesmo estando na fase do açúcar,  o prazer também é liberado quando apenas preparo um bolo, por exemplo, para alguém. Isso é o ponto positivo. Os projetos que tenho em mente para minha vida daqui pra frente,  são outras coisas  que  me fazem sentir melhor. Então,  também tenho me apegado muito a eles.
Não estou querendo dizer com tudo isso que ficarei nessa fase pra sempre, afinal, é fase e fase passa. Não me sinto mal por ter que recorrer ao açúcar para me sentir bem, sinto mal pelo dano que isso pode causar à minha saúde,  mas isso é consciente. É como um vício qualquer, vc não consegue controlar e fica chateado e triste se não o faz, nesse caso, se não como açúcar.  Já tinha experimentado essa fase antes e passou sozinha depois. Isso foi o suficiente para me fazer perder 5kg sem nenhum outro esforço. (parte boa).


Apesar de tudo,  sinto-me bem, estou tranquila e esperançosa. (parte boa 2).
Deixo aqui meus contatos, tanto pessoal como da minha fantástica "fabrica" de doçuras, para informações,  sugestões,  críticas,  dúvidas,  receitas, parcerias no mundo dos doces ( tenho experiência)..rs... e é isso, entra ai em contato e vamos tomar um capuccino com um delicioso Muffin de laranja com gotas de chocolate e bater um papo sobre o açúcar,  a teoria do caos e sobre poesia...

Ju Morais
Facebook: Ju Morais
Fanpage: Sweet Katte
Instagram: cupcakessweetkatte
julianarmorais@yahoo.com.br

Abraço doce e apertado! 
:)


sábado, 5 de julho de 2014

Tudo novo...


A fase ruim vai passar. Foi 1 ano de muito sacrifício, muita dedicação, muito estresse, mas também, muita determinação! Um ano cheio de aprendizado que, com certeza, servirá pra toda minha caminhada nessa vida.
Chorei e sorri (muito). Já me arrependi de muita coisa, mas hoje, não me arrependo mais, hoje, agradeço a Deus pela oportunidade de viver o que vivi. Sei que não viverei  de novo (não da forma que foi).
“Daqui pra frente tudo vai ser diferente”... como disse Roberto Carlos.
Que fiquem as coisas boas, somente as boas!

J

sexta-feira, 27 de junho de 2014

Depressão do Humor


Porque eu sempre soube o que eu queria, só não fazia ideia de como ter...
Porque também esse meu jeito amargo de ser, está me deixando louca
e o doce na minha boca já não faz mais sentido.
Estresse?
Desanimo mórbido?
Ansiedade generalizada e humor deprimido...?
Talvez...mas a ironia:
eu soube, eu tive, eu perdi...

*Só por hoje, eu queria o whisky sem gelo, ouvir Maysa nesse rádio e eternizar esses doces Cupcakes.


quinta-feira, 26 de junho de 2014

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Laranjinhas

A laranja me inspirou hoje. Seu cheiro, seu sabor... fiquei feliz por ter conseguido atingir o ponto de um docinho de laranja tão suculento e saboroso.

Laranja cor do por do sol que eu tanto amo... ^^

terça-feira, 24 de junho de 2014

Cupcake...a pequena arte!

                                                                  "Little Dream"                              
                                     
Cozinhar doces é uma arte. Arte se faz com e por prazer, por vontade, por identificação e especialmente POR AMOR. Faço bolos e doces desde que comecei a crescer e a perguntar pra mamãe como ela fazia 'praquela' massa ficar tão linda e saborosa. 

Enfim... Amei fazer estes cupcakes! 
:)

Nome do Doce: Little Dream
Descrição: Massa de baunilha com recheio de geléia de morango e cobetura de brigadeiro.
Decorado com morangos e geléia.

Porque a  vida sempre pede uma doçura.

domingo, 22 de junho de 2014

Smile... feliz!


Escrevo pra quem lê, mas escrevo, especialmente pra mim. Sempre escrevi, mas nunca fui lida. Estou cada vez mais, enxergando-me quando me olho, me encontrando quando me busco. Não é fácil de chegarmos a este ponto. É sofrido, é longo, cansa...

Traduzi-me tantas vezes em forma de poesia. A poesia que escrevia na forma que achava que era certa, mas já nem sei. Não busquei saber se era realmente a forma certa de postar os versos e torna-los poesia.

Agora, sinto que existe uma necessidade real de expressar o meu eu. E antes, não me encontrava, buscava-me e me perdia em palavras.

Mas sempre fui eu, era eu, sempre...! E  estou aqui, agora, mais do que nunca.

:)


quinta-feira, 19 de junho de 2014

Sugar Craving



A fase agora é bem mais complexa: trabalho, trabalho, açúcar, farinha... coraçãozinho de fondant... Essa minha relação com o açúcar já é antiga, mas só agora surge a verdadeira responsabilidade com essa arte. Agora, agora, não. Na verdade, já fez um ano... e estou ficando velha e acabada... o mais intrigante: estou feliz!  Bem feliz!!! :)

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

(...)
Meu corpo luz agora em treva,
Minha alma empedra
Meu corpo abrigo de nada
Em guerra com ele próprio
Minha alma eterno inverno de mim
Dentro e por fora de mim
Meu corpo espinha-se sozinho
Pálido e congelado

dentro da minha alma banhada de lama.