quarta-feira, 28 de março de 2012


Mas o que escrevo são só palavras silenciadas, ocultas, tímidas... Que, quem sabe, nada dizem e não conhecem o que é exatidão. São palavras que sentem dor calada e que, às vezes, pensam no nada. Não construo grandes coisas, pois nem sei o que é ser grande o suficiente pra construí-las, nem sei se um dia saberei dizer o que é preciso dizer quando não se sabe bem o quê. Confusão de letras, confusão incômoda de pensamentos. Eu só sei ser o que eu sou e nem sei que palavras ainda me restam pra que eu ainda tente, ao menos, explicar isso.

8 comentários:

  1. http://oultimocliente.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Toda palavra é un universo.
    Parabéns pelo texto, muito legal.

    ResponderExcluir
  3. Toda a palavra diz alguma coisa, e o que resta para usar é o infinito. A escrita é mais do que uma forma de se expressar. É uma libertação. Parabens.

    ResponderExcluir
  4. Ei Judy... há quanto tempo não passo por aqui.. como estão as coisas com você? Adoro o background do seu blog.. ah e queria aquela máquina de escrever viu hahaha

    e, sim, ficamos no vazio, um limbo no qual não sabemos ao certo o que dizer, pensar ou escrever; mas está ali, sabe? por vezes, não é preciso explicar.

    bjs

    ResponderExcluir
  5. Viajante,

    Quanto tempo mesmo.Comigo está tudo bem, obrigada pela lembrança, mas essa máquina me custou muito caro...rs.

    Não esqueça de voltar, viu. Bjs.

    Valeu gente.

    ResponderExcluir
  6. Olá, e e meus amigos estamos trabalhando num blog coletivo, disponibilizando literatura de graça de de qualidade, se você quiser fazer parte entre em contato:
    www.aliterata.wordpress.com ou www.asurrealidade.blogspot.com.br
    Estamos em fase de criação de um universo, de criação de fanFiction e muito mais. Esperamos por mais ajuda. Faça parte em http://www.facebook.com/ASurrealidade

    ResponderExcluir
  7. Viajante...

    Ando mto pelo facebook... aqui ta meio jogado às traças. =/
    Mas valeu pela lembrança.

    ResponderExcluir